fbpx
Wagner Molina, dia 4 de Novembro de 2022, em frente à porta principal da sede da Primeiro Plano na ZN de São Paulo.

É um fato conhecido que a saúde, higiene e organização são aspectos importantes do nosso dia a dia. Em grandes eventos, serviços de limpeza são essenciais e empresas especializadas ganham um maior destaque.

Este é o caso da Primeiro Plano. Fundada em 2004, passou por uma mudança na direção geral quando Wagner Molina, até então gerente comercial, decidiu aumentar ainda mais sua conexão com a empresa.

Molina atua como proprietário desde 2014, e conta que sua primeira meta era a modernização de estratégias, serviços e até mesmo produtos e tecnologias usadas pela equipe.

Apesar de trabalhar com uma equipe inteiramente autônoma, Wagner acredita ser importante manter uma lista de contatos bem elaborada, para que possam sempre entregar o mesmo nível de qualidade do serviço em todos eventos que vão.

“É uma mão de obra diferente. Ela gosta de passear e estar em lugares novos, e esses eventos trazem isso,” diz Wagner sobre os colaboradores.

Quando questionado sobre desafios da área, Wagner diz que gostaria de ver mais estrutura no mercado de limpeza de eventos.

“Os promotores de evento, por exemplo, sentam em uma mesa e juntos resolvem questões do mercado,” ele aponta, “Porém, no mercado de limpeza não temos isso [entre concorrentes].”

O proprietário da Primeiro Plano explica que muitos desafios seriam melhores resolvidos em conjunto com a concorrência. Estabelecer um padrão de qualidade, uma margem de preços, e uma prática estruturada de prestação de serviços, só iria beneficiar o mercado e fortalecer a atuação destas empresas, de acordo com Molina.

Outro desafio que Wagner mencionou encontrar no propósito de sua meta de modernização da empresa, foi também a demanda por produtos sustentáveis. Por ser algo mais cultural, a demanda é baixa ainda pelo aumento do custo do serviço.

Algumas grandes empresas contratantes da Primeiro Plano, já requisitaram o uso de produtos e equipamentos que teriam um menor impacto no meio ambiente, porém elas já vieram preparadas para arcar com este tipo de custo.

A Primeiro Plano estourou em 1996 quando fez seu primeiro grande serviço em um evento – A 14ª Bienal do Livro, um evento que recebeu um total de mais de um milhão de pessoas desde seu início até o final.

Não só o primeiro trabalho deles em um nível de grande porte foi um sucesso, como também acabaram ganhando espaço na mídia quando um faxineiro da empresa encontrou uma bomba, e comunicou aos responsáveis do evento.

Na época, os convidados foram evacuados em segurança e tudo graças aos esforços do colaborador da Primeiro Plano que achou a bomba no cesto de lixo do Pavilhão Vermelho da Expo Center Norte. Mais de 500 crianças se encontravam no pavilhão, e um total de 40 mil pessoas no geral estavam presentes, de acordo com a reportagem da Folha de S. Paulo.

Durante a retomada após a pandemia, Molina diz que seu maior objetivo continua sendo estabelecer um bom padrão de qualidade para seu serviço e modernizar a empresa para assim alinhar as expectativas às novas demandas do mercado.


 

Wagner Molina é um empresário natural da cidade de São Paulo, no Brasil. Ele começou sua jornada profissional como atendente de banco, e depois de um período na empresa, prestou concurso público para ser efetuado. Graduado em economia pela PUC em 1990 e marketing pelo SENAC em 2020, Wagner se juntou à Primeiro Plano em 2004. Após um tempo trabalhando no banco, Molina recebeu uma oportunidade de trabalhar na área comercial como gerente de atendimento de negócios. Há 12 anos Wagner se torna proprietário da Primeiro Plano, onde continua no cargo até hoje.

 

 

Compartilhe: